Lágrimas de Vidro

27 agosto 2016









Glass Tears (Les Larmes), 1932
Pelo aniversário do Man Ray em 27 de Agosto de 1890.
...

Hoje o dia amanheceu assim, como se o Verão distraído tivesse aberto uma janela ao Outono. 
As folhas verteram lágrimas desconsoladas. Eu irritei-me com o tempo, o tempo todo.

Manta com uma réstia de sol

25 agosto 2016








Uma nova Manta tricotada nos mesmos fios da Serra da Estrela.
Com a ajuda da noveladora, que não sendo indispensável para este efeito ajuda muito, consegui novos tons apenas juntando os fios que tenho disponíveis.

Ao desenhar esta colecção de Mantas pensei essencialmente nas crianças mais pequeninas, daí a decisão de terem estas medidas mais reduzidas adequadas a um berço, à primeira cama ou para serem utilizadas como xaile para aconchego. 
A escolha dos fios foi também no sentido de obter uma malha macia, leve e fácil de moldar ao corpo da criança, está mais do que provado e quem tem filhos sabe por experiência, a capacidade calmante  que tem para o bébé, o sentir-se confortavelmente envolvido.
Uma Manta pode ser um substituto ou um complemento ao colo de quem cuida e acarinha. 

São peças inteiramente feitas à mão, pedaços tricotados separadamente e depois unidos ponto a ponto, todas elas são únicas e é assim que continuarão a ser.  

Só consigo encontrar sentido num trabalho pensado e produzido em pequenas séries ou colecções, desde que além dos pontos em comum que fazem a ligação entre cada peça, possa incluir como complemento alguns detalhes únicos e daí consiga obter um conjunto formado por elementos únicos.  
Acredito que por todos termos os mesmos direitos, merecemos também e precisamente por isso, o mesmo direito a poder ser diferentes.
...

Tal como os Colares, também as Mantas estarão em breve disponíveis nas lojas da Burel Factory.

Quanto mede um palmo de rio

22 agosto 2016

















Levantar os olhos, atingir o topo e sentirmo-nos na medida certa do nosso tamanho.

Voltar a sentir o cheiro quente da terra molhada.

Apenas as acácias guardaram nas folhas o que ficou dos poucos minutos que durou a chuva. 
Há dias em que o céu chora baixinho.

Pedras enormes, paredes de pedra.

Arbustos que parecem cabeleiras d'ouro ao sol.

Teias que criam tramas e armazenam sementes impedindo-as de seguirem caminho.

Um rio que assume formas tão diferentes ao longo do curso e uma vegetação tão variada que nos vemos nos primórdios da existência da Terra. 

Por duas vezes mergulhei num palmo de rio. 


Sou de pequenas coisas

19 agosto 2016




























Quando me sinto meia perdida é no meio da natureza que mais depressa me encontro.

...

Um post que começou aqui e ainda vai continuar.

A dois passos da Serra

17 agosto 2016

Uma pequena parte deste percurso ardeu uma semana depois de lá termos estado. Grande parte da Serra de Arouca foi destruída pelo fogo ao longo de vários dias.

Não é só de património florestal que se trata, de espécies que levaram anos a desenvolverem-se e em instantes desaparecem desbastadas pelas chamas, são os pastos dos animais que por esta altura não têm do que se alimentar.

Há muito a mudar e há muito que se espera por essas mudanças.
Depois dos muitos discursos inflamados, das acusações entre os vários organismos e a natural desculpabilização de todos, é urgente pensar o assunto floresta de forma sustentada, evitando continuar a cair nos mesmos erros que se prolongam há décadas.

Para quem se interessa por este assunto e queira participar nesta reforma florestal de modo consciente, em que cada um com um pequeno gesto pode contribuir para uma reflorestação planeada e sustentável, em regime particular e de voluntariado, ficam aqui algumas páginas que podem consultar e sugiro que partilhem toda a informação que considerarem útil.

Futuro - O Projecto das 100.000 Árvores

Wilder -  rewilding your days 

Barreira de Floresta Nativa 

Celebrar

31 julho 2016




Reunir os amigos de sempre com os amigos que se fizeram desde que nos mudamos para o Porto e celebrar a vida.

Ter a M na cozinha a preparar, o que já consideramos entre nós, as especialidades dela, Pão de banana e frutos sivestres, Quiche de vegetais e uma mistura de Humus e Guacamole.

Como para quem gosta de cozinhar, experimentar e descobrir faz parte da aventura, a maior parte das vezes não segue uma receita, para o Pão de banana (em que usou mirtilos em vez de framboesas) a receita veio deste blogue.

Há dias em que a festa se prolonga pela noite adentro, são dias maiores.

A una mujer

27 julho 2016




































No hay que llorar porque las plantas crecen en tu balcón, no hay
que estar triste si una vez más la rubia carrera de las nubes te reitera
lo inmóvil, ese permanecer en tanta fuga. Porque la nube estará ahí,
constante en su inconstancia cuando tú, cuando yo -pero por qué nombrar el polvo y la ceniza-.
Sí, nos equivocábamos creyendo que el paso por el día era lo efímero, el agua que resbala por las hojas hasta hundirse en la tierra.

Sólo dura la efímero, esa estúpida planta que ignora la tortuga, esa blanda tortuga que tantea en la eternidad con ojos huecos, y el sonido sin música, la palabra sin canto, la cópula sin grito de agonía, las torres del maíz, los ciegos montes.
Nosotros, maniatados a una conciencia que es el tiempo,no nos movemos del terror y la delicia, y sus verdugos delicadamente nos arrancan los párpados para dejarnos ver sin tregua cómo crecen las plantas del
balcón, cómo corren las nubes al futuro.

¿Qué quiere decir esto? Nada, una taza de té. No hay drama en el murmullo, y tú eres la silueta de papel que las tijeras van salvando de lo informe: oh vanidad de creer que se nace o se muere, cuando lo único real es el hueco que queda en el papel, el golem que nos sigue sollozando en sueños y en olvido.

Julio Cortázar 

... 

E assim, hoje, dando-me a ler um poema me quiseram oferecer um sorriso. E assim conseguiram.